Olá leitores, nesta edição destacamos a entrevista no Valor Econômico sobre a pesquisa de jurimetria do escritório sobre golpes na internet, trazemos novas modalidades de fraudes digitais e como a inteligência artificial tem sido usada pelos fraudadores. Ressaltamos ainda os vazamentos de informações e segredos das bigtechs e da gigante de venda de ingressos, a Ticketmaster, revelando a fragilidade da proteção de dados mesmo nas empresas digitais. Boa leitura.


DESTAQUES

A pesquisa de jurimetria que consta do livro Golpes Digitais, de Alexandre Atheniense, serviu de base para a reportagem do Valor Econômico sobre as condenações desse crime no TJ-SP. A publicação destacou que, no Tribunal, 58% das empresas são condenadas nos processos de golpe digital. Segundo Alexandre Atheniense, isso se deve ao aumento do volume de ações desde a pandemia, chegando a crescer 450% entre 2020 e 2021. “Hoje cada magistrado já conhece um familiar ou amigo que foi vítima de golpe”, diz.

A pesquisa de Atheniense analisou 351 processos envolvendo oito tipos de fraudes, como os golpes do motoboy, da falsa vaga de emprego, do boleto falso e do falso leilão. Os réus mais frequentes foram instituições financeiras e bancárias, representando 52% dos casos, seguidos por provedores de aplicativos (10%), empresas de telecomunicações (9%) e pessoas físicas (8%).

>> Leia a entrevista de Atheniense


ENTREVISTA

Alexandre Atheniense avalia as bigtechs e os danos mentais causados a crianças e adolescentes

Diante da declaração do médico Vivek Murthy, maior autoridade de saúde pública dos EUA, sobre a periculosidade das redes sociais e a necessidade de informar os usuários sobre os danos mentais do uso excessivo, a Rádio Nacional consultou Alexandre Atheniense, especialista em direito digital e perito em fraudes eletrônicas. Atheniense comparou a situação à batalha contra o tabaco, defendendo alertas similares aos de maços de cigarros para conscientizar sobre os riscos à saúde mental. Ele criticou as bigtechs por priorizarem lucros sobre a transparência dos danos, e enfatizou a necessidade de regulamentações governamentais para equilibrar a proteção dos usuários, destacando a importância de uma conscientização conjunta entre pais, escolas e o estado.

>> Ouça a entrevista de Atheniense


GOLPES NA INTERNET

Luciano Hang e Havan são usados em golpe com inteligência artificial sobre doações ao RS

 

 

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, foi vítima de um golpe envolvendo doações para o Rio Grande do Sul, no qual os golpistas usaram ferramentas de inteligência artificial para cometer o crime. Em um vídeo, a voz e a imagem de Hang foram manipuladas para anunciar a venda de todo o estoque de ar-condicionado por apenas R$ 149, com a falsa promessa de que o dinheiro arrecadado seria doado para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. No entanto, os compradores nunca receberam os produtos. Hang afirmou que sua imagem e a da Havan foram usadas para o crime. Segundo ele, mais de cinco mil consumidores denunciaram o golpe nos últimos 20 dias, e a Havan estava tentando derrubar cerca de 600 sites falsos identificados.

>> Saiba mais

Saiba como preservar provas digitais e enfrentar golpes na internet →

Google e Microsoft querem usar IA para acessar dados e proteger usuários contra golpes

Você daria seus dados para uma IA das bigtechs lhe proteger de golpes? É o que a Google e Microsoft pretendem oferecer. A Microsoft revelou o PC “Copilot+”, que utiliza o recurso “Recall” para capturar e armazenar localmente o conteúdo da tela, permitindo acesso a informações vistas anteriormente no dispositivo. Isso visa proteger os usuários de golpes, garantindo que os dados sejam mantidos privados. Similarmente, o Google apresentou o Gemini Nano para aparelhos Android, que detecta fraudes em tempo real diretamente no dispositivo, sem depender da nuvem, preservando a privacidade dos dados. Ambas as empresas pretendem aumentar o acesso a dados dos usuários para protegê-los contra golpes, enquanto levantam preocupações sobre a privacidade e a segurança das informações coletadas.

>> Saiba mais

Golpe da Starlink engana consumidores no Brasil

Nos últimos seis meses, 44% das 491 reclamações contra a Starlink envolveram sites fraudulentos, de acordo com o Teletime. Criminosos criaram páginas que imitam o site oficial da Starlink e utilizam anúncios no Facebook e Instagram para oferecer falsas promoções e vender antenas com preços atraentes, levando consumidores a realizar pagamentos via PIX, método não aceito pelo site oficial.

>> Leia no Terra

Comentário de Alexandre Atheniense:

“As quadrilhas organizadas têm intensificado golpes relativos à criação de sites clonados, que têm o mesmo estilo, as mesmas cores, até mesmo o uso não autorizado da marca, para aplicar esses golpes, finalizando a suposta venda através do WhatsApp. A ousadia chegou ao ponto que essas quadrilhas estão conseguindo, inclusive, registrar na Junta Comercial do Estado de São Paulo, nome de empresas utilizando a marca registrada da empresa que está sendo vítima desse golpe. É uma situação inusitada que vem acontecendo e favorecendo demais a prática desse tipo de golpe.”

CURTAS:

Brasileiros perdem R$ 2,7 bi em golpes do falso intermediário para compra online de veículos, mostra estudo da OLX. Leia na CNN.

IA cria entrevista fake com Fátima Bernardes anunciando uma falsa indenização junto ao Serasa. Milhares caíram no golpe. Saiba mais sobre o golpe do Serasa.

Golpe do falso médico: bandidos pedem dinheiro para ‘exames’ de paciente e família perde quase R$ 5 mil em Teresina. Leia no g1.

Cuca, técnico do Athletico-PR, tem whatsapp clonado e o hacker pediu dinheiro em seu nome a outros técnicos. Leia no Terra.

Uso de inteligência artificial e vaquinhas online falsas: como golpistas se aproveitam da tragédia no RS para lucrar. Leia no g1.

Rotina do golpe do Pix faz Detran derrubar 15 sites falsos por semana em Santa Catarina. Leia no NSCtotal.

Como enfrentar o desafio dos ataques de Ransomware e outros incidentes de segurança cibernética →


DECISÕES NA JUSTIÇA

Meta pagará multa de R$ 500 mil por não reativar perfil no Instagram

O TJ/SP condenou a Meta a pagar uma multa de R$ 500 mil por não cumprir uma liminar que ordenava a reativação do perfil de uma loja no Instagram. Além disso, a empresa foi condenada a pagar R$ 250 mil por lucros cessantes. A decisão, da 16ª câmara de Direito Privado, apontou que a Meta não apresentou motivos plausíveis para o bloqueio do perfil e comprovou os danos financeiros causados pela suspensão.

>> Leia no Migalhas

Provas e golpes digitais: como o advogado pode vencer um caso sem testemunhas →


CIBERSEGURANÇA

Brasil lidera em ataques de ransomware na América Latina

O Brasil é o principal alvo de ataques de ransomware na América Latina, resultando em interrupções de serviços públicos e privados e prejuízos milionários, revela estudo da ISH Tecnologia. O ransomware sequestra dados de computadores, exigindo pagamento pelo resgate, e tem como principais alvos instituições governamentais e empresas-chave. A infraestrutura crítica, como hospitais e sistemas de transporte, também é frequentemente atacada. Uma operação policial internacional no início do ano contra o grupo de ransomware Lockbit identificou o hacker americano que levava uma vida de luxo em Blumenau. Ele é acusado de atacar 1.700 organizações, com resgates acumulados de US$ 120 milhões, incluindo vítimas como a Boeing, os Correios britânicos e o Banco Comercial e Industrial da China.

>> Leia no O Globo

Como enfrentar o desafio dos ataques de Ransomware e outros incidentes de segurança cibernética →


PROTEÇÃO DE DADOS

Ticketmaster sofre mega vazamento de dados de 560 milhões de clientes

A Ticketmaster, empresa responsável pela venda de ingressos do Rock In Rio, Caetano e Bethânia , entre outros, confirmou um megavazamento de dados de clientes. A companhia informou à SEC (Comissão de Valores Mobiliários dos EUA) que estava investigando a violação, após o grupo de hackers ShinyHunters assumir a responsabilidade pelo roubo de informações de mais de 500 milhões de clientes. O Procon de São Paulo notificou a empresa para que esclareça se a violação de informações pessoais afeta consumidores brasileiros e se coleta e armazena os dados dos consumidores e quais procedimentos da LGPD foram adotados.

>> Leia na Folha de S.Paulo

Megavazamento de dados revela como o algoritmo do Google funciona

Um dos segredos mais bem guardados pela bigtech pode ter sido revelado no recente vazamento de dados que expôs mais de 2500 documentos do Google. Esses materiais fornecem uma visão inédita dos bastidores da bigtech e revela que a empresa coleta mais dados do que se pensava até agora, inclusive por meio do seu navegador, Google Chrome.

>> Leia no Techtudo

Formação em DPO é na Atheniense Academy →


INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Apresentadores da Record são vítimas do ‘deepfake’, manipulação feita por inteligência artificial

O aumento dos casos de criminosos utilizando inteligência artificial para manipular vídeos de jornalistas e disseminar informações falsas ressalta a urgente necessidade de regulamentação da IA no Brasil. Esses criminosos exploram a credibilidade dos profissionais para enganar e roubar dinheiro das pessoas. Um exemplo recente é o de Celso Freitas, apresentador do Jornal da Record, que foi alvo dessas manipulações. Em um vídeo que circula nas redes sociais, Celso aparece promovendo uma falsa estratégia para acertar números da loteria, algo que ele nunca disse.

>> Veja o alerta da Record


NÚMEROS

R$ 2,7 bi é o que os brasileiros perderam em golpes online envolvendo compra de veículos, mostra a CNN.

33% é a previsão de crescimento da receita mundial de chips com inteligência artificial em 2024, chegando a US$ 71 bilhões no ano, informa o DecisionReport

72% do mundo já usam inteligência artificial no seu dia a dia. Em 2023 esse uso acontecia em 55% das empresas, o que demonstra um crescimento rápido e intenso, informa a CNN.